PESQUISE NO SITE
Biografia
Nossa Causa
Notícias
Projetos
Comissões
Agenda
Eventos
Conquistas
Sala de Imprensa
Na Mídia
Fala, Ana Rita
Artigos
Antes X Depois
Com a Palavra...
Áudios
Links
Denuncie
Downloads
Contato

 
Notícias     Imprimir

Polícia vai investigar caso de gatos mortos por espancamento no Alto do Itaigara16/04/2013 17:30
Polícia vai investigar caso de gatos mortos por espancamento no Alto do Itaigara
Audiência nesta quarta-feira (17) dá início aos esclarecimentos sobre crime ocorrido em obra de condomínio de luxo

Assessoria 1 comentário          

Está marcada para as 10h desta quarta-feira (17), audiência na 16ª Delegacia de Polícia, no bairro da Pituba, para apurar as causas das mortes de dois gatos da colônia felina do Alto do Itaigara, ocorridas no dia 21 de março, em Salvador (BA). Segundo a protetora Cristiana Rocha, que denunciou o crime, o laudo da necropsia acusou “politraumatismo” como causa da morte dos animais, o que levanta a hipótese de espancamento e crime previsto no artigo 32 da Lei 9.605/08.

Participam da audiência a denunciante Cristiana Rocha, que é responsável pelo Projeto “Sotero Bichanos” e pelos cuidados aos gatos que habitam o interior da obra do Condomínio Diamond, na Rua Doutor Antônio Monteiro, onde ocorreram as mortes; o engenheiro diretor da obra e advogados encaminhados pela vereadora Ana Rita Tavares (PV) para acompanhar o caso.

Segundo Cristiana, os gatos foram levados para o local por um ex-empregado da construtora Petram, responsável pela construção do condomínio, com o objetivo de reduzir a população de ratos na região. “Passamos a alimentá-los e fizemos o controle populacional dos gatos, por meio do trabalho de captura, esterilização e devolução (CED), o que foi um favor para a empresa, pois os cuidados com os animais deveria ser uma responsabilidade deles”, acusa Cristiana.

 


Cristiana Rocha e um dos gatos já retirados do local da obra do condomínio Diamond
(Archimimo Costa / Divulgação)


A colônia tinha cerca de vinte gatos, que foram castrados e eram alimentados diariamente, num posto de alimentação montado ao lado da obra. No dia 20 de março, eles receberam os cuidados normalmente, por volta de 19h30. Mas, na manhã seguinte, dois deles foram encontrados mortos. O laudo da necropsia acusou politraumatismo nos corpos. Segundo Cristiana Rocha, um dos gatos foi encontrado na área do depósito da obra da construtora, mas os empregados negam participação no crime.

A ativista diz que, por telefone, entrou em contato com um encarregado da Petram, mas ele se recusou a informar quais empregados vigiavam o local na noite em que ocorreram as mortes. “Ele foi ríspido comigo e, por isso, estou me sentindo intimidada, com medo de voltar lá. Além disso, quando fui colar cartazes na rua, denunciando o que aconteceu, tive que ouvir piadas e chacotas dos empregados”, diz.

Dois gatos adultos e oito filhotes já foram encaminhados para adoção. Além dos dois que foram mortos, uma gata está desaparecida. Cristiana também se diz preocupada com uma fêmea que teve filhotes recentemente e continua no interior da obra. “E a maneira brutal com que os animais foram mortos nos faz entender que cometeram esse crime para nos atingir, senão teriam envenenado os gatos, como já aconteceu antes”, diz a ativista.

 


Cartaz divulgado na Rua Antonio Monteiro pela protetora Cristiana Rocha (Divulgação)


Explicações

O advogado Murilo Coutinho diz que a audiência vai servir para ouvir as explicações do diretor da obra, a respeito do que aconteceu com os animais mortos, e também para convidar a empresa a desenvolver ações de educação ambiental com os empregados. “É importante disseminar conhecimentos sobre os direitos dos animais e nossas obrigações legais com o meio ambiente, pois a educação é o caminho para sensibilizar essas pessoas. Além disso, temos que tomar providências com relação aos gatos que permanecem no local”, diz.

A vereadora Ana Rita reforça a necessidade de educação para prevenir os casos de violência contra os animais e garantiu o auxílio jurídico para resolver o caso. “Infelizmente o extermínio de gatos, seja por espancamento ou envenenamento, é uma constante nas grandes cidades, por isso nosso apoio para encaminhar providências jurídicas e investigar a autoria desse crime. Paralelamente, vamos buscar ações educativas que são o caminho para transformar essa triste realidade de agressão a animais indefesos”.


 


Notícias Relacionadas

  • Liberdade: estudantes denunciam professor por agressão a cão em escola

  • Agressor de cães espancados a pauladas no Lobato é detido após denúncia de protetora

  • Cães vítimas de maus tratos por estudante de veterinária são libertados por Ana Rita Tavares

  • Comissão de Defesa da Mulher se reúne com secretário de segurança pública da Bahia

  • Cadela prenhe é morta após ser amarrada e arrastada por caminhão em Lauro de Freitas

  • Filhote de cão era criado como passarinho em gaiola

  • Prefeito de Cansanção confina cães de rua em matadouro sem água e comida

  • Família que mantinha cadela em situação de maus tratos recebe Ana Rita Tavares em Brotas

  • Formação de Oficiais da Proteção Animal é realizada em Salvador

  • Ativistas e Comissão da OAB libertam animais de cativeiro em Feira de Santana

  • Situação dos animais que vivem nos campi da Ufba é discutida em audiência

  • ​Ufba: vereadora e reitor discutem situação dos animais que vivem em Instituição

  • Estudante da Ufba é preso por bater em cão com skate

  • Cão baleado em São Caetano é resgatado por vereadora

  • Forró beneficente ajuda animais do canil de Cruz das Almas

  • Cão morre de fome e frio após dois meses de abandono

  • Crueldade com cães

  • Após denuncias nas redes sociais, protetores resgatam cães em Simões Filho (BA)

  • Petshop "Mania de Bicho" rejeita acordo e vai responder criminalmente por maus tratos

  • Vereadora e juíza reforçam críticas à exploração de animais em circos

  • Em sessão especial, Ana Rita Tavares condena o uso de animais em circo

  • Projeto da vereadora Ana Rita leva educação ambiental aos bairros de Salvador

  • Ana Rita Tavares e ativistas libertam jegue que carregava sobrepeso em carroça

  • Vereadora pede esclarecimento da morte de animais no Parque de Pituaçu

  • Moradores denunciam e cadelas são resgatadas após maus tratos


  • ComentáriosComentar Notícia
    Gabriela Santos
    12/05/2013 15:00
    Gente, é preciso ter estômago para navegar por este site! Quanta maldade, meu Deus! Só uma pessoa muito fria, muito psicopata não se sensibiliza com estas fotos. Eu tenho cinco gatos, dentre eles, dois adotados, e dois cágados. Neste momento, minha mãe está dando comida a um gatão lindo, que sempre aparece, aqui em casa, por que ele sabe que pode confiar na gente. Cabeçudinho (ele é grandão e tem uma cabeça enorme!) como três vezes ao dia, como os meus gatos. Outros gatos, que não são nossos, também vêm para a minha casa para comer e beber água. Nós adoramos e achamos engraçado. Viva os animais, coitados, eles são maravilhosos!


      Últimas Notícias

    Ana Rita Tavares cobra ao Centro de Zoonoses assistência aos animais de rua de Salvador

    ​Cão mantido em situação de maus tratos é resgatado em casa de bairro de luxo em Salvador

    Câmara Municipal de Salvador concede título de cidadã baiana a apoiadora da causa animal

    Acusado de matar cães e ameaçar seus guardiões em Central (BA) presta depoimento à polícia

    Mais Notícias



    Mais Lidas

    Protetores de animais pedem serviço de atendimento móvel de urgência em Salvador

    Projeto de Ana Rita, Castramóvel já está pronto para funcionar

    Câmara de Salvador aprova projeto para a criação de hospital público veterinário

    Prefeitos de Salvador e Porto Alegre discutem implantação de Secretaria dos Animais


    Gabinete
    Edf. Sul América - 7º Andar
    Travessa D'Ajuda, 39 - Centro
    Salvador-BA - CEP:40020-030
    Telefone: 71 3320-0297
            

    Assessoria de Comunicação
    (71) 3320-0195