Ana Rita Tavares

Ana Rita Tavares se dedica à causa animal desde 2001. Em seus dois mandatos como vereadora em Salvador, de 2013 a 2016 e de 2017 a 2020, conquistou causas importantes como a criação do Castra móvel (PIN 001/2013), aprovação do PL de Penalidades Administrativas para quem maltrata animais (Lei nº 1095/2019). Hoje, é candidata à deputada federal pelo partido Podemos. Sua meta, nesta nova jornada, é lutar para promover avanços nos diretos não só dos animais, como na proteção do meio ambiente e no respeito às mulheres.

Nascida em Salvador, em 31 de outubro de 1962, Ana Rita Tavares é advogada formada pela Universidade Católica (UCSal). De família de comerciantes, desde cedo trabalhou para ajudar na manutenção da casa em Santo Antônio de Jesus, onde viveu até a adolescência. Ana Rita sempre teve um senso de justiça muito aguçado, principalmente quando se trata de inocentes, e essa vocação conduziu suas escolhas.

Sua intensa jornada no Direito começou logo nos primeiros anos como advogada e, nas diversas atividades que exercia, tornou-se voluntariamente assessora jurídica da Associação Brasileira Protetora de Animais, aqui da Bahia (ABPA-BA). Ana Rita participava de alguns grupos, acompanhava resgates e ajudava com mantimentos.

Até que em 2001 fez seu primeiro resgate animal, através de liminar judicial, de um filhote que estava sendo espancado. A denúncia veio de uma vizinha do agressor. O cachorrinho foi cuidado e batizado como Duda. “Ganhou peso, cresceu forte e nem parecia ter sofrido tantas agressões. Ele envelheceu conosco, morreu feliz”, diz Ana.

Advogada dos Animais

“Estaria mentindo se dissesse que não gosto de ser chamada assim”, afirma Ana Rita.

“Não porque exista valor nesse título diante da sociedade. Sou ocasionalmente taxada de louca, desequilibrada. Quem não me conhece, não sabe da minha história aqui, não compreende a essência, verdade e propósito por traz deste trabalho”, avalia.

Sua vida é inteira de lutas. As maiores são por aquilo que acredita. Entre essas, a crença de que nenhum ser vivo pode ser submetido aos maus-tratos, violência, dor e humilhação. “Eu acredito que só haverá felicidade no mundo quando não houver mais sofrimento entre seres vivos. Temos nossa carga de pecados, mas eles são inocentes”, afirma.

Para Ana Rita, as pessoas precisam se desprender do material e ter um olhar sensível para com a natureza. “O ser humano precisa ser menos egoísta, digo em relação à alimentação, porque essa indústria desenfreada de gados cria uma egrégora de sofrimento muito grande. A natureza devastada perde, o meio ambiente lesado, os animais no corredor do sacrifício cercado de crueldade. A lei do retorno é absoluta”, defende a candidata, que é vegana.